segunda-feira, 4 de março de 2013

Mosaico

A vida reparte
a gente é que junta
A vida estilhaça, esmigalha, espalha
Ela me dividiu, quase me destruiu
Fui desfeita, refeita, transformada em algo novo
não com um remendo de qual quer coisa
ou para esconder uma rachadura em mim
Todos os meus cacos foram usados em uma moldura
Agora sou maior que todos os meus pedaços
Sou além deles
Na mão do Artista virei mosaico
Sou arte, sou tela, sou escultura
Sou vaso
Entendo tudo agora!
Eu inteira não era perfeita
todavia, meus pedaços em Suas mãos
me tornaram singular e completa
Sou arte
Tenho o Seu nome marcado em mim.