quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Eu vejo o horizonte

Eu vejo o horizonte.
Preciso subir bem mais alto para ver o que ha mais adiante,
onde posso chegar.
Partir me parece essencial.
não que eu vá deixar tudo,
por que não posso arrancar tudo que vivi
e que agora faz parte de mim.
Vou andando por outros caminhos,
redescobrindo meus passos.
É muito doloroso, muito saboroso.
A partida , a chegada.
Mas não se engane.
Nunca é sem ti, vou olhando sempre para ti.
Mas por favor deixe-me ir...
Não como filho pródigo,
mas como uma mãe que larga a mão de um filho
para os primeiros passos.
Quanto o amor pode suportar?
A distancia,as diferenças,as rivalidades,o tempo, as escolhas.
Quero estar com você,
sem obrigações, sem horários,
sem títulos, sem ética e pudores.
E se sobrevivermos a nós mesmas,
saberei que tudo foi verdadeiro.

E se um dia eu te negar, por favor me ame.